Administrar uma empresa, seja de pequeno, médio ou grande porte, demanda grande esforço e perspicácia. É preciso não apenas vontade e capacidade de trabalhar, mas também muita criatividade, visão sistêmica do negócio e, principalmente, muito jogo de cintura. É também preciso saber que o “jogo” do mercado vem se tornando cada vez mais complexo e adquire mais e mais variáveis a cada dia. E neste cenário complexo, muitas empresas, por “n” motivos, acabam entrando no vermelho. Se este é o seu caso, este pequeno texto é para você. De forma simples e rápida, preparamos 5 passos para ajudar a tirar a sua empresa do vermelho.

1 – Faça um diagnóstico preciso

Entenda o que está acontecendo na sua empresa. Este é o primeiro e indispensável passo para tirar qualquer empresa do vermelho. Sem ele, os demais passos tendem ao fracasso.

Descubra, portanto, qual é o grande gargalo de sua empresa, o que está fazendo com que ela apresente um baixo desempenho. Houve aumento nos custos operacionais? Surgiram novos players no mercado? Houve redução na procura pelos produtos ou serviços ofertados pela sua empresa?

Diagnosticar corretamente o problema possibilita um tratamento correto e mais efetivo. Afinal, de nada adianta tomar aspirina ou uma pastilha efervescente de vitamina C se o seu problema é uma fratura exposta no braço…

2 – Otimize processos

Independentemente da saúde de sua empresa, se ela está ou não no vermelho, este passo vale para todo mundo. As melhorias constantes e ininterruptas dos processos dentro de uma empresa reduzem custos e garantem maiores margens de lucro. Portanto, é preciso conhecer a fundo todos os processos envolvidos na operação do negócio.

Se a sua empresa trabalha com manufatura, é preciso conhecer cada etapa envolvida na transformação da matéria prima em produto. É preciso identificar, por exemplo, se a informatização ou mecanização de alguma destas etapas pode aumentar a produtividade. Adotar técnicas de gestão mais eficientes e oferecer treinamento a funcionários e colaboradores também podem tornar a operação mais dinâmica.

É possível também, por exemplo, adotar um sistema mais eficiente de gestão de estoque. Maior controle dos estoques permite um maior planejamento na hora da compra e venda de produtos.

Desta forma, é possível negociar melhores preços com fornecedores e pensar em promoções para atrair clientes. Uma maior fluidez e controle das contas a pagar e receber também é uma estratégia que ajuda as empresas a serem mais rentáveis. A antecipação de recebíveis pode ser um importante aliado.

3 – Invista em publicidade e marketing

Você já ouviu um milhão de vezes a frase: a propaganda é a alma do negócio! E de fato ela é. Seja para promover um produto ou serviço, seja para manter a imagem de sua marca viva e presente na mente das pessoas, a publicidade é indispensável para o sucesso de uma empresa.

Mesmo que você esteja no vermelho, é importante não deixar de lado os investimentos nesta área. Mas não basta fazer qualquer publicidade ou ação de marketing. É preciso entender a fundo o seu público, seus hábitos de consumo, o que eles buscam da sua empresa, quais são os veículos de comunicação mais procurados pelo seu público-alvo etc. Agências de publicidade e marketing possuem todo o know-how e conhecem o caminho das pedras para alavancar uma marca ou produto.

4 – Reduza custos

Este passo talvez seja o mais conhecido e o que primeiro vem à mente da maioria dos empresários. Mas reduzir custos e cortar gastos indiscriminadamente pode simplesmente inviabilizar um negócio. Vamos a um exemplo bem simples e amplamente conhecido: Se eu possuo uma loja de roupas, preciso no reduzir meu estoque de peças de verão quando o inverno se aproxima. Agora, se eu reduzo a minha compra de peças de calor quando o verão está chegando, reduzirei meus gastos, mas também diminuirei minhas vendas. Isso, portanto, não é bom. É um corte errado e que pode prejudicar a saúde do negócio a médio e longo prazo.

É preciso, portanto, um controle sistêmico de todas as receitas e despesas. Muitos gastos, como já trouxemos no item 2, decorrem da ineficiência de processos.

Se eu tenho um custo muito alto de energia elétrica e um consumo elevado na conta de água, talvez eu consiga adotar estratégias para diminuir estes gastos. A aquisição de painéis solares, a realização de simples mudanças arquitetônicas para melhor aproveitar a luz solar, a captação da água de chuva, por exemplo, são investimentos que reduzem custos a médio e longo prazo.

5 – Aumente investimentos

Parece um passo meio estranho e contraditório, mas às vezes é melhor atacar do que recuar. Muitas empresas entram no vermelho não por falta de mercado, mas sim porque não conseguem crescer de acordo com as demandas do mercado.

Assim, abrem espaço para a concorrência, tornando-se menos competitivas do que seus adversários. Às vezes falta capital de giro (colocar o link da matéria) para adquirir mais mercadorias e aumentar as vendas.

Nestes casos, a antecipação de recebíveis e até mesmo empréstimos podem ser importantes aliados para que a empresa se mantenha competitiva e mantenha uma presença sólida e consistente no mercado.