Capital de giro 2

8 em cada 10 pessoas que possuem ou querem abrir um negócio já se depararam com a expressão “capital de giro”. É difícil encontrar alguém no mundo dos negócios que não a use. Mas será que as pessoas a utilizam da forma correta? Será que de fato elas sabem realmente o que de fato é esse tal de “capital de giro”?

O tal do capital de giro…

Capital de giro, para ir direto ao ponto, é literalmente o capital que você precisa para “girar” o seu negócio.

Trocando em miúdos, é o dinheiro mínimo que precisa circular dentro da empresa para manter a sua  operação. É uma reserva financeira que gira no negócio, que “sai” do caixa na forma de custos de produção e que “volta” na forma de produtos vendidos.

Um exemplo, por favor!

Pois não! Pense que você possui um depósito de bebidas, é verão, e você está cercado de freezers sedentos por energia elétrica… Cada vez que a porta do freezer se abre, mais energia é demandada para manter o motor funcionando.

A conta de luz que chegará no final do mês provavelmente não será das mais tranquilas, não é mesmo? Você, no entanto, realizou a maior parte de suas vendas do mês a prazo, vendeu agora, mas só receberá no mês seguinte. Há, portanto, um “buraco” temporal entre o que se deve pagar (conta de luz) e o que se vai receber (vendas a prazo). Temos aí um problema, certo?

Sim e não… Ambíguo, é verdade, mas é que problema talvez não seja a palavra mais correta…

É óbvio que não é possível cravar o valor exato da conta de luz nem prever a quantidade exata de vendas. No entanto, você já sabe mais ou menos a data de vencimento da conta de energia e também já sabe que há uma tendência entre os seus clientes de realizar as compras a prazo. Portanto, esse “buraco” não é bem um problema, mas uma condição, uma característica quase natural do negócio. Ele, no entanto, precisa ser tapado para que ninguém caia e se esborrache. Algum palpite de como fazer isso?

Se você respondeu “com capital de giro”, parabéns, você acertou! Sacou a importância dele?

Definição mais precisa

Para quem gosta de uma definição mais técnica, vejamos a do site do SEBRAE: “O capital de giro é a diferença entre os recursos disponíveis em caixa e a soma das despesas e contas a pagar”. Numa fórmula básica é o mesmo que dizer:

  •         A = todas as suas contas a receber + o valor que você possui em estoque
  •         B = todas as contas a pagar + valor a pagar em impostos e despesas
  •         A menos (-) B = capital de giro

Observe, portanto, que o capital de giro deve ser pensado de forma ampla, abrangendo toda a empresa. Ele é a quantidade TOTAL de recursos necessários para cobrir a diferença entre todas as receitas e despesas do negócio. É a mesma lógica do depósito de bebidas, mas agora levando em conta as outras contas… energia, água, despesas com pessoal, material de escritório, IPTU, combustível e a lista não para de crescer.

Ah, só para deixar claro: capital de giro, também conhecido como capital circulante, não deve ser confundido com o capital fixo. Este último são elementos mais estruturais, como máquinas, o prédio em si, um carro. Enfim, são objetos essenciais à produção, mas que não entram e saem a todo momento do seu negócio. O freezer de nosso exemplo é um capital fixo, por exemplo. Já as bebidas que estão dentro do freezer são seu capital de giro.

Importância estratégica do capital de giro

O conceito de capital de giro é estratégico para quem vai começar um negócio. Ou você acha que vai começar a sua operação e já irá receber imediatamente os seus pagamentos?

Pois é… antes de começar a receber, as contas e despesas rotativas certamente já estarão batendo na em sua porta. Portanto, antes de mais nada, é preciso muito planejamento. É precisa estimar detalhadamente além dos custos fixos os custos variáveis da operação, o estoque mínimo a ser adquirido e tantas outras coisas indispensáveis.

E lembre-se sempre de manter os pés no chão, já que estimativas são apenas estimativas…  a realidade pode ser muitas vez mais cruel do que a previsão…

E isso não é para desanimar ninguém não, viu! É só para deixar clara a importância de preparar o bolso antes de começar a funcionar.

Usar o capital de giro com produtividade

O capital de giro, portanto, como vimos, é uma reserva financeira que está em constante rotação, que está sempre girando. Ele sai na forma de despesa e retorna na forma de vendas. O capital de giro é uma reserva financeira estratégica que, se por algum motivo for insuficiente, pode levar um negócio à ruína.

Se o capital de giro faltar, as contas vão se acumular, multas e juros vão se proliferar, o estoque vai faltar, a produção vai parar. Enfim… um verdadeiro caos!

Mas além de essencial para a manutenção do negócio, o capital de giro é também um indicador da produtividade de sua empresa. Quanto mais rápido for o giro do capital e maiores forem os valores circulantes, maior tende a ser o lucro.

Com mais capital de giro, pode-se aumentar o volume em estoque e a quantidade de vendas, melhorando a produtividade. No exemplo do nosso depósito de bebidas, quanto menos tempo a bebida ficar dentro do freezer, menor é o meu custo e maior o meu lucro. Ao invés de uma latinha de refrigerante ficar ocupando espaço por 2 dias no meu freezer, se eu conseguir gelar 3 latinhas neste mesmo espaço físico e número de dias, significa que meu negócio girou melhor.

Uma dica para quem busca aumentar o capital de giro e melhor gerenciá-lo é a antecipar os recebíveis, como notas fiscais e demais documentos de crédito. Empresas com a Exten antecipam o valor das suas contas a receber, reduzindo o tempo entre a venda e o recebimento. Assim, torna-se possível aumentar o capital de giro e consequentemente ampliar as operações de seu negócio e melhorar a produtividade. Se você quer entender como funciona a antecipação de recebíveis, sugerimos a leitura deste post.

Para concluir…

Então, como vimos, entender o funcionamento e a importância do capital de giro é indispensável para o início e manutenção de qualquer negócio. Saber como o dinheiro circula e como esta circulação faz um negócio girar permite um melhor controle e segurança das operações. Uma boa administração do capital de giro, reduzindo o tempo que o dinheiro leva para sair e retornar ao caixa da empresa permite aumentar a produtividade e a lucratividade de um negócio.

Se você se interessou pela antecipação de recebíveis como forma de aumentar o seu capital de giro, aproveite para fazer uma simulação com a Exten. A simulação é totalmente online, rápida e sem custo. Você envia as notas fiscais ou documentos de crédito que quer antecipar, e a Exten os analisa de forma rápida. Em poucas horas você já fica por dentro de todas as condições. Conheça as Histórias Exten e saiba como a antecipação de recebíveis ajudou e ajuda no crescimento das micro e pequenas empresas.