Final do mês e ... as contas não fecham. Essa é a realidade de muitas empresas brasileiras, principalmente das pequenas e médias.

Final do mês e … as contas não fecham. Essa é a realidade de muitas empresas brasileiras, principalmente das pequenas e médias. Como trabalham com margens financeiras estreitas, qualquer pequena oscilação no cenário econômico local pode causar um verdadeiro rebuliço. E é justamente neste cenário muitas vezes deficitário que a figura do empréstimo vem à tona.

No entanto, se os empréstimos são ferramentas que ajudam empresas a driblarem obstáculos, é preciso tomar certos cuidados. E o alerta especial vai para um vilão já bastante conhecido de todos os brasileiros: os altos juros.

Com um spread elevado e pouca concorrência no setor bancário, o Brasil é um dos países com as maiores taxas de juros bancários do mundo. Em alguns casos, os juros do cheque especial para pessoas físicas chegam na casa dos 300% ao ano!

Assim, alguns cuidados tornam-se imprescindíveis. Separamos uma lista com 6 importantes dicas na hora de pegar um empréstimo.

1 – Por que preciso de um empréstimo?

Esta é a pergunta básica e mais elementar a ser feita antes de buscar um empréstimo. Apesar de óbvia, respondê-la de maneira convicta é indispensável! Quais os reais motivos que levam minha empresa a tomar dinheiro emprestado? Minha empresa precisa de dinheiro para que? Preciso realmente deste recurso neste exato momento? Não existem outras formas de reduzir custos ou remanejar o orçamento de forma a obter os recursos necessários? Se estou querendo dinheiro emprestado para expandir meu negócio, este é realmente o momento mais adequado? Respondidas tais perguntas, caso tenha sido realmente identificada a necessidade do empréstimo, é hora de procurar a forma de financiamento mais adequada.

2 – Empréstimos bancários são realmente a melhor alternativa?

Antes de tomar um empréstimo é sempre necessário verificar se não existem outras alternativas de crédito disponíveis. Um exemplo é a antecipação de recebíveis, fornecida por sociedades mercantis que, em muitos casos, oferecem taxas e juros mais competitivos.

Com a antecipação de recebíveis as empresas conseguem trabalhar com valores pré-determinados, oriundos de suas próprias vendas.  Diferentemente dos empréstimos, na antecipação de recebíveis, os valores constantes das notas fiscais, faturas, duplicatas etc é que são antecipados.

Não há estimativa a ser feita, projeções que muitas vezes não condizem com a realidade, o que garante à antecipação um importante papel como ferramenta de planejamento financeiro.

3 – Pesquise as melhores linhas de crédito

Se a escolha foi por um empréstimo, é preciso procurar as taxas de juros mais baixas disponíveis no mercado. Geralmente, juros de empréstimos voltados às empresas são bem mais baixos do que os praticados para pessoas físicas.

Portanto, nada de sair por aí assinando a primeira proposta que receber.  Procure várias instituições e cote preços e condições. Esta etapa, apesar de trabalhosa, pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso na operação!

4 – Leia todas as condições do contrato

Atenção total a todas às cláusulas do contrato de empréstimos! Antes de contratar os serviços é indispensável fazer o levantamento total do custo da operação. Isso inclui não apenas os juros, mas também taxas de operação e manutenção, comissões etc. Muitas instituições oferecem juros baixos, mas, por outro lado, cobram altas taxas administrativas. Portanto, pesquise todas as opções disponíveis no mercado e sempre calcule o valor total do empréstimo, já com todas as taxas incluídas.

5 – Em quanto tempo consigo quitar a minha dívida?

Pegar um empréstimo não é algo necessariamente ruim. Quando bem utilizado ele pode servir não apenas para cobrir “buracos” financeiros, mas também para aumentar e expandir os negócios. Entretanto, é preciso ter um planejamento muito rígido. Faça todos os cálculos e chegue na quantia exata de que você precisa. Nem um centavo a mais do que necessário!

6 – Pague fielmente as parcelas do empréstimo!

Mais importante do que pegar um empréstimo é conseguir quitá-lo. Com taxas de juros geralmente bastante elevadas, falhar no pagamento de uma parcela pode ser o início de um verdadeiro desastre financeiro. Portanto, mantenha um controle estrito dos recursos destinados a seu pagamento. Das despesas de sua empresa, a quitação do empréstimo deve ter sempre prioridade. Um deslize no compromisso de pagamento pode ocasionar uma avalanche repleta de juros que pode até mesmo inviabilizar um negócio.

Com estas dicas e uma visão atenta à dinâmica do mercado, o empréstimo pode deixar de ser um vilão e tornar-se um poderoso aliado no crescimento e desenvolvimentos das empresas.